Marca SINDIFISCO Sindicato do Grupo Ocupacional Administração Tributária do Estado de Pernambuco

Notícias da Fenafisco

Paulo e Fernando lideram

3 de outubro de 2014

A eleição acontecerá no próximo domingo e pelo último levantamento do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau (IPMN), encomendado pelo portal Leia Já e publicado em parceria com o JC, Paulo Câmara (PSB) deve ser o novo governador, com 44% dos votos. Isso já tinha sido previsto em consultas anteriores. A grande novidade, nesta reta final, foi a "arrancada" de Fernando Bezerra Coelho, do mesmo partido. Candidato ao senado, o socialista alcançou 35% da preferência dos eleitores, abrindo uma diferença de seis pontos percentuais sobre João Paulo (PT). De acordo com a pesquisa, se descontados os brancos, nulos e indecisos, os votos válidos dos pernambucanos para o Senado resultam num percentual de 54% para FBC, contra 44% de João Paulo. O mesmo cálculo de votos válidos daria 57% para Paulo Câmara e 42% para Armando Monteiro (PTB).

A tendência vem se firmando desde as primeiras edições da pesquisa, quando tanto Paulo como FBC apresentavam índices bem mais baixos que Armando e João Paulo. A partir de setembro, os socialistas empataram com seus adversários, superando-os nos momentos finais da campanha. Apenas no Sertão Armando permanece à frente, chegando a 53% dos votos. Mas, na mesma região, FBC vence João Paulo, atingindo 53% no Sertão do São Francisco.

Para o cientista político Adriano Oliveira, que é professor da UFPE e integrou a equipe de coordenadores da pesquisa, o resultado reflete o reconhecimento dos pernambucanos às mudanças realizadas no Estado. "Eles enxergam Eduardo Campos como responsável pelo processo e identificam Paulo Câmara como capaz de continuar mudando. É o reconhecimento do legado", afirma. Um ponto que merece ser destacado no levantamento, contudo, é o índice altíssimo de indecisos, que representam quase um terço dos eleitores, somando-se os votos dos brancos e nulos (11%) aos daqueles que não souberam ou não quiseram opinar (16%). Em 2010, as urnas revelaram 17,4% de votos brancos e nulos, e se o fenômeno se repetir, haveria então cerca de 10% de votos a serem conquistados até domingo.

FORÇA DO EDUARDISMO

Entre os eleitores ouvidos, 67% consideram que Pernambuco melhorou nos últimos anos, e 71,4% consideram Eduardo Campos o maior responsável por isso. 50,2% dos entrevistados acham que Paulo Câmara é o candidato que melhor pode dar continuidade ao processo. A presença de Eduardo na memória dos pernambucanos é tão forte que seu nome continua atingindo 1% na pesquisa espontânea para governador (acima de todos os candidatos de partidos menores). Oliveira, porém, não acredita que a comoção causada pelo acidente aéreo que vitimou o ex-governador tenha viabilizado a candidatura de seu afilhado político. "Paulo era desconhecido do eleitorado na primeira pesquisa, antes da morte de Eduardo, onde aparecia com 10%. Mas, já naquele momento, os entrevistados reconheciam a boa gestão de Eduardo. O efeito após a tragédia foi apenas acelerar o processo de conhecimento de Paulo como o candidato do ex-governador", aponta.

O quadro de crescimento reverberou na disputa ao Senado, historicamente atrelada ao desempenho da chapa majoritária.

"Apesar da força de João Paulo no Recife, Fernando está conseguindo reverter o quadro a seu favor. Para ter alguma chance de vitória, não bastava o petista manter os votos já obtidos, era preciso aumentar a vantagem", avalia o cientista político.

Fonte: Jornal do Commercio

Mais Notícias da Fenafisco