Marca SINDIFISCO Sindicato do Grupo Ocupacional Administração Tributária do Estado de Pernambuco

Notícias da Fenafisco

Black Friday só com planejamento

28 de novembro de 2014

A Black Friday está aí, com produtos e preços tentadores ao consumidor. É uma boa oportunidade para fazer as compras de fim de ano sem gastar muito e ainda usar o 13º salário sem que seja preciso parcelar ou deixar o pagamento para depois. Para especialistas, é importante que o consumidor faça o cálculo de acordo com seu orçamento e planeje a compra, evitando gastar mais do que realmente pode e precisa.

O coordenador do Procon de Minas Gerais, Marcelo Barbosa, diz que o consumidor deve se certificar primeiro da necessidade da compra, principalmente se estiver endividado. “É preciso verificar se há dinheiro sobrando e se é mesmo preciso comprar o produto.” Segundo ele, se optar pelas lojas online, é importante guardar um comprovante da compra para se certificar da entrega.

A coordenadora institucional da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), Maria Inês Dolci, também ressalta que o consumidor deve verificar se a compra não vai comprometer a saúde financeira. “A data coincide com o pagamento da primeira parcela do 13º salário ao brasileiro, no entanto, o consumidor deve priorizar a quitação das dívidas, se houver. Caso sobre alguma quantia, pode-se aproveitar os descontos oferecidos pelo comércio.”

Ainda é importante que o consumidor fique atento às armadilhas e identifique produtos que realmente estão em oferta. O advogado do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) Christian Printes lembra que não é raro estabelecimentos que aproveitam o chamariz da liquidação para anunciar itens com preços semelhantes aos verificados antes do período ou que tiveram o preço elevado pouco tempo antes para simular um desconto maior. 

A legislação garante que as compras realizadas pela internet podem ser canceladas mesmo que o produto não apresente qualquer defeito, desde que dentro do prazo de sete dias, contados a partir da data da entrega. Além disso, toda informação transmitida ao consumidor por meio de publicidade, embalagens ou mesmo declarações dos vendedores torna-se uma cláusula contratual a ser cumprida pelos lojistas e fabricantes.

Fonte: Diario de Pernambuco

Mais Notícias da Fenafisco