Marca SINDIFISCO Sindicato do Grupo Ocupacional Administração Tributária do Estado de Pernambuco

Notícias da Fenafisco

Promessas para todos os gostos

10 de julho de 2014

No momento em que registraram suas candidaturas, os cinco postulantes a governador apresentaram, também, as linhas gerais do que seria o programa de governo. Há propostas que convergem, como no caso da universalização da educação. Mas algumas, como a estatização do transporte público, só encontra amparo no programa do PSTU.

No caso dos dois principais candidatos ao governo, Armando Monteiro Neto (PTB) e Paulo Câmara (PSB), eles optaram por estratégias diferentes na apresentação de suas propostas. Enquanto Armando trouxe um programa extenso, mas desacompanhado de números, o de Paulo Câmara é mais sucinto, porém com muita preocupação em enaltecer os feitos da gestão socialista nos últimos sete anos e em reforçar o que seria um "modelo de gestão do PSB".

Em vários trechos do documento, destaca-se a necessidade de "garantir e consolidar o que foi conquistado, avançando para um novo patamar" (confira algumas propostas na arte).

Armando mostra seus projetos em 23 páginas. Em nenhum momento baseia-se em números. O programa foi dividido em quatro eixos principais: cidadania, desenvolvimento sustentável, qualidade de vida e gestão e governança. A partir daí, são trabalhados temas como saúde, educação, segurança, mapeamento urbano e desenvolvimento econômico. Já o programa de governo socialista foi dividido, inicialmente, em cinco tópicos. Os textos completos dos programas estão disponíveis no site do TRE (www.tre-pe.jus.br).

Desde a pré-campanha, Armando afirma que a educação será a sua prioridade. Defende temas como o plano de cargos e carreira para professores, criação de uma matriz curricular e a promessa de incentivos para escolas que alcançarem metas. Na saúde, o petebista cita a criação de mais leitos, a estruturação dos hospitais regionais e a criação de consórcios regionais de atendimento.

Para a área de segurança, Armando assegura que não irá acabar com o Pacto pela Vida, mas, sem explicar como, anuncia que fará mudanças no projeto. "É urgente sua avaliação para para ampliar a abrangência das ações", informa o documento.

As propostas de Paulo foram divididas nos seguintes eixos: a próxima etapa do "Novo Pernambuco", desenvolvimento sustentável, qualidade dos serviços públicos, melhoria da vida das pessoas, políticas sociais, e uma gestão moderna, inovadora, integradora e transformadora. A maior parte do programa cita o que foi feito na gestão de Eduardo Campos, sem destacar quais as mudanças que serão feitas caso seja eleito.

Ao longo do documento, é possível encontrar propostas que não foram aprofundadas. Na área da saúde, o candidato promete universalizar o acesso ao serviço e inovar na marcação de consultas e cirurgias. Já para a educação, a proposta é universalizar o ensino integral. Há também a promessa de universalização do acesso a água, tema que também foi prometido por Eduardo. Alvo de críticas de Armando, a atenção aos microempreendedores também foi apresentado como foco do socialista. As demais propostas são apresentadas superficialmente.

Fonte: Jornal do Commercio

Mais Notícias da Fenafisco