Marca SINDIFISCO Sindicato do Grupo Ocupacional Administração Tributária do Estado de Pernambuco

Notícias da Fenafisco

PIB do estado pode ter queda de 4% em 2015

16 de outubro de 2015

Todos os estados brasileiros vão acompanhar o movimento de recessão nacional e fechar o ano com índices negativos no Produto Interno Bruto (PIB). É o que aponta um estudo realizado pelo banco Santander, que projeta uma queda de 2,8% no PIB brasileiro. O pior desempenho entre os estados brasileiros é justamente o de Pernambuco. Segundo o documento, o PIB pernambucano fechará 2015 com uma queda de 4%. A melhor situação ficará no Pará, que deve fechar o ano com crescimento nulo.

As projeções do Santander apontam que o resultado pernambucano será puxado, principalmente, pela queda de 14,1% na construção civil. O dado leva em consideração a desmobilização na obra da Refinaria Abreu e Lima (Rnest), no Complexo Industrial Portuário de Suape. Quando no pico de obras, o empreendimento chegou a empregar 40 mil pessoas. Porém, o projeto se tornou um dos principais alvos da Operação Lava-Jato, que investiga esquemas de corrupção envolvendo empreiteiras e políticos. 

“A construção civil é um termômetro em momentos de crise. Quando os investimentos públicos e privados estão mantidos, este setor está em alta. Sem investir, o setor cai e, consequentemente, o desemprego aumenta. Pernambuco vive esse momento. A construção civil passou por um momento de aquecimento, mas não chegou a gerar um produto que comportasse os empregos. Além disso, veio a Lava-Jato, que travou muitas obras e licitações não apenas aqui mas em todo o país”, destaca Evaldo de Souza, professor de Ciências Contábeis e Atuariais da Universidade Federal de Pernambuco.

Os dados apresentados pelo Santander também são desanimadores para o comércio, que deve cair 7,9%. O estudo ainda aponta queda de 4,8% na indústria e de 1,5% nos serviços. A Agropecuária seria o único setor a fechar o ano positivo, crescendo1,6%. “Com o desemprego maior há uma queda na renda, ou seja, menos dinheiro para que as pessoas comprem, o que justifica a queda no comércio. Aí é o efeito dominó. Sem vender, o comércio compra menos e a indústria reduz a produção”, explica Souza.

Caso as projeções sejam confirmadas, este será o pior resultado econômico para o estado. Na série histórica do IBGE, Pernambuco só registrou queda no PIB em dois anos: 1998 (-0,4%) e 2003 (-0,6%). Em nota, o governo do estado diz que os indicadores disponíveis, até o momento, não apontam para este cenário. “Os resultados mensurados pela Agência Condepe/Fidem no primeiro semestre de 2015 mostram que Pernambuco teve uma taxa de crescimento negativo de 1,1% em relação ao mesmo período do ano passado. Seria necessária uma elevada retração da economia estadual no semestre de 2015 para que a projeção do Santander se confirme.”

Fonte: Diario de Pernambuco

Mais Notícias da Fenafisco