Marca SINDIFISCO Sindicato do Grupo Ocupacional Administração Tributária do Estado de Pernambuco

Notícias da Fenafisco

Novas interdições na RMR

25 de julho de 2014

Seis supermercados da Região Metropolitana do Recife (RMR) foram interditados totalmente e um parcialmente ontem em uma ação conjunta realizada pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Procon e Vigilância Sanitária do Recife. A Operação Mercado Limpo vistoriou 12 estabelecimentos à procura de irregularidades.

Hoje pela manhã, será divulgado o balanço da operação, com detalhes sobre os locais interditados, quantidade de alimentos recolhidos e as penalidades estabelecidas conforme a infração.

Os estabelecimentos que foram obrigados a fechar as portas foram RM Express, na Boa Vista, Boa Mesa, em Dois Unidos, Novo Dia, no Brejo do Beberibe, Olho D?Água, no bairro da Várzea, Engenho Tavares Padaria e Mercado, no Engenho do Meio, e Casa do Consumidor, no bairro do Ipsep. O Deskontão, na Avenida Norte, em Casa Amarela, foi interditado parcialmente devido ao mau funcionamento de um balcão frigorífico em uma das ilhas.

Em nota, a assessoria do Deskontão informou que o estabelecimento irá trocar a tecnologia utilizada por uma nova e que a loja está funcionando normalmente. Os demais estabelecimentos foram procurados pela reportagem, mas não se pronunciaram até o fechamento desta edição.

Segundo o delegado da Delegacia do Consumidor, Roberto Wanderley, os estabelecimentos foram interditados por condições sanitárias e de acondicionamento precárias, falta de limpeza e alimentos estragados. Em alguns locais, foram encontradas fezes de animais e larvas em carnes.

A gerente da Vigilância Sanitária do Recife, Adeílza Ferraz, explica que a escolha dos locais vistoriados foi feita a partir de denúncias de consumidores. "O caso mais grave foi na Casa do Consumidor, no Ipsep, onde havia muitos roedores e esgoto a céu aberto", diz.

Adeílza conta que também foram encontrados problemas nas estruturas de alguns locais. "Além de encontrarmos condições de higiene precárias e alimentos deteriorados, vimos problemas de manutenção na estrutura, como fiações expostas", afirma. Segundo ela, os estabelecimentos permanecem fechados por tempo indeterminado.

De março até julho, foi realizado um total de 53 vistorias. Durante as fiscalizações, 32 estabelecimentos foram interditados totalmente e um, parcialmente. As principais irregularidades encontradas são resfriamento ou congelamento inadequado de alimentos, principalmente carnes, embutidos e produtos lácteos, produtos com prazo de validade vencido e falta de condições higiênico-sanitárias nas dependências das lojas.

Fonte: Jornal do Commercio

Mais Notícias da Fenafisco