Marca SINDIFISCO Sindicato do Grupo Ocupacional Administração Tributária do Estado de Pernambuco

Notícias da Fenafisco

Momento é de reserva financeira

13 de março de 2015

O nível de poupança no Brasil está diminuindo. Segundo economistas, diante da atual situação econômica do Brasil, a queda nesse tipo de investimento é um sinal de que as pessoas estão resgatando suas economias ou estão com seus salários tão comprometidos que não conseguem poupar. Na Semana Nacional de Educação Financeira, que segue até domingo, diversos eventos no país buscam ensinar os brasileiros sobre os caminhos para uma boa educação financeira e como a poupança pode ser o instrumento inicial desse processo. No Recife, a Associação Comercial de Pernambuco promove, hoje, palestras gratuitas.

Para o consultor em gestão da TGI Consultoria Fábio Menezes, o movimento de retração da poupança brasileira está na contramão do que é recomendado para garantir estabilidade financeira diante da crise. “Num momento como esse de incerteza na economia, com redução de empregos e enxugamento de quadros, construir uma reserva é a forma mais inteligente de se preparar para a queda de receitas e o aumento do custo de vida”, orienta Menezes. 

Para quem não gasta mais do que ganha, a tarefa é mais simples. “Primeiro, você deve pagar a si próprio, que é o percentual que você vai depositar todo mês na poupança”, diz o consultor. O valor, claro, vai depender da renda de cada um e dos compromissos financeiros assumidos. “Para não perder o controle dos gastos, o segredo é evitar as compras parceladas, ter um consumo consciente e educar-se a reservar uma quantia mensal. Quem se enche de parcelas de compras, não controla os gastos e não consegue poupar”, alerta. Já para quem tem dívidas mas deseja se capitalizar, uma saída é tentar uma receita extra e enxugar os gastos. 

“Uma em cada três pessoas que têm conta-corrente, consome o cheque especial e termina o mês no vermelho. Isso indica que o brasileiro não tem uma boa educação financeira. Mas as pessoas que se educaram conseguiram ampliar os investimentos para outras modalidades do mercado de capitais”, explica a administradora especialista em gestão empresarial e finanças Katharinny Bione. 

O analista da coordenação de educação financeira da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Julio Cesar Dahbar, diz que existem diversos instrumentos para que o cidadão consiga controlar os gastos e poupar. “Nos sites www.investidor.org.br e no www.vidaedinheiro.gov.br há conteúdos sobre educação financeira e aplicativos que ensinam  planejamento financeiro”.

Fonte: Diario de Pernambuco

Mais Notícias da Fenafisco