Marca SINDIFISCO Sindicato do Grupo Ocupacional Administração Tributária do Estado de Pernambuco

Notícias da Fenafisco

Mais segurança na carteira de motorista

11 de dezembro de 2014

BRASÍLIA – A carteira de habilitação trará novos itens de segurança a partir de 2015, informou ontem Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). O objetivo é inibir fraudes no documento, que é considerado o mais seguro do país pelo governo. A partir de 1° de julho, todos os Detrans serão obrigados a emitir a permissão para dirigir no novo modelo. Os motoristas, contudo, não precisarão trocar seu documento atual, caso ele ainda esteja válido. A mudança ocorrerá gradualmente, conforme os cidadãos renovem seus documentos. Com isso, a troca total das carteiras de habilitação no País ocorrerá em cinco anos.

Para o cidadão, o processo de habilitação continua exatamente como é hoje, diz Rone Barbosa, coordenador-geral de informatização e estatística do Denatran. O novo modelo não implicará aumento de custo para os motoristas. A carteira de habilitação, que não sofria modificações há oito anos, trará 28 itens de segurança. O modelo antigo possuía cerca de 20.

A principal inovação é a inclusão do QR Code, um código bidimensional impresso no documento que permite a verificação de sua autenticidade por meio de leitura digital. Ele conterá o código do Renavam, placa, ano de fabricação, modelo do veículo, CPF do proprietário e código de segurança gerado pelo governo.

Com isso, os fiscais de trânsito poderão checar a carteira de habilitação por meio de um aplicativo no celular. "O agente de trânsito terá um leitor vinculado ao seu CPF. Por isso, se for um documento falso, ele não pode se omitir. O sistema também será usado como forma de coibir a corrupção", afirma Barbosa.

O CRV (Certificado de Registro de Veículos) e o CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo) também terão novos modelos com mais itens de segurança. A maior incidência de fraudes ocorre nestes tipos de documento por conta do índice elevado de extravios.

Para o Denatran, a inclusão do QR code nestes documentos inibirá a falsificação. "O criminoso que apresentar um documento falso vai ser identificado na hora. Se não for verdadeiro, ela já pode levá-lo para delegacia, porque, no mínimo, é suspeito de fraude", diz Barbosa. O CRV e o CRLV não sofriam modificações há cerca de 15 anos.

Fonte: Jornal do Commercio

Mais Notícias da Fenafisco