Marca SINDIFISCO Sindicato do Grupo Ocupacional Administração Tributária do Estado de Pernambuco

Notícias da Fenafisco

Estado terá investimentos superiores a R$ 200 milhões

No apagar das luzes do atual governo, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Alexandre Valença, e o presidente do Porto de Suape, Matheus Antunes, assinaram os contratos dos terrenos para a construção do moinho da Bunge e da fábrica da Máquinas Piratininga. Eles também anunciaram a implantação, depois de quatro anos de idas e vindas, da unidade de serviço da Fasal, empresa do grupo Usiminas, que tem o grupo Camargo Corrêa com um dos acionistas. Juntas, as três fábricas terão investimentos superiores a R$ 200 milhões e devem gerar mais de 500 empregos diretos.

Alexandre Valença contou que os representantes da Fasal estiveram em Suape na quarta-feira para apresentar o projeto da fábrica, que poderá produzir, entre outros itens, perfis de aço e telhas. “Eles só confirmaram depois que o estaleiro ficou assegurado. A unidade será fornecedora”, comentou o secretário. De acordo com Matheus Antunes, a fábrica já tem a licença prévia junto à CPRH para o terreno de seis hectares – comprado próximo à Pamesa- e deve obter em breve a licença de construção. As obras podem começar ainda em janeiro e devem durar seis meses.

A construção da unidade da Máquinas Piratininga vai sair por R$ 25 milhões. A empresa já tem uma fábrica em Jaboatão dos Guararapes. De acordo com o presidente José Francisco Gonçalez, serão produzidos em Suape grandes equipamentos, como turbinas eólicas e fornos. A unidade será instalada em três etapas. “Neste primeiro semestre vamos fazer o projeto de engenharia e iniciar a construção. Queremos começar a funcionar no começo de 2008”, explicou Gonçalez. Quando estiver em plena operação, em 2010, a fábrica vai demandar até 300 empregos diretos.

Bunge – O diretor de Gestão Portuária de Suape, João Poggi, disse que as obras do moinho da Bunge já podem começar em janeiro. A empresa arrendou por 25 anos (prorrogáveis por outros 25) uma área de 15 hectares vizinha ao antigo pátio de veículos do porto. O moinho será o maior da América do Sul, com capacidade para processar 70 mil toneladas de trigo pormês. A unidade vai gerar 220 empregos diretos e receber investimentos de US$ 60 milhões. Deve ser concluída no começo de 2009 para atender Pernambuco e os estados vizinhos.

O protocolo de intenções para instalação da unidade foi assinado em julho do ano passado. Na ocasião, o diretor da Bunge Alimentos, Martinho Silveira, confirmou que o grupo iria transferir todas as operações do Porto do Recife para Suape tão logo o novo moinho comece a funcionar. As conversações entre o governo do estado e a Bunge duraram mais de dois anos. Nesse período, os empresários também visitaram outros estados que poderiam receber o empreendimento. Segundo João Poggi, só o moinho representará 20% do total de carga movimentado hoje por Suape.

Mais Notícias da Fenafisco