Marca SINDIFISCO Sindicato do Grupo Ocupacional Administração Tributária do Estado de Pernambuco

Notícias da Fenafisco

Energia fica mais cara a partir de hoje em PE

 

A partir de hoje, passa a valer o aumento de 0,79% nas contas de luz de mais de 2,7 milhões de consumidores residenciais da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), índice autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na terça-feira passada. Frustradas as expectativas do Governo, que até apostava numa redução, fica a promessa de renunciar parte do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da tarifa da população. Independentemente do êxito esperado nas ações do poder público, um consumo racional do insumo ainda é o melhor aliado do usuário. Reeducar hábitos simples do dia-a-dia, atestam técnicos do setor elétrico, pode ter um resultado significativo na fatura no fim do mês.

Reorganizar horários para lavar e passar roupa, usufruir mais da luz solar e controlar o uso de equipamentos como chuveiro elétrico e ar condicionado, os maiores sugadores de energia nas residências, são dicas básicas para desacelerar o ponteiro dos medidores. Essa está sendo a cartilha seguida pela técnica em laboratório Ivanilda da Conceição Nunes Luz, 36 anos. As adaptações a que ela, o marido e o filho se submeteram já viraram rotina natural na família. “Ar condicionado é um gasto impressionante. Se ligamos dez vezes no mês, a conta sobe 25%, se usamos 15 dias, o aumento chega a 50%. Ar refrigerado, aqui, só quando o ventilador não der conta. Breve, vou trocar minha geladeira duplex por uma mais simples e econômica”, diz.

O cuidado dela com esses dois eletrodomésticos reflete uma tendência de consumo energético no Nordeste. “Nessa Região, os dois equipamentos que mais elevam as contas de luz são geladeira (29%) e ar condicionado (27%). Ambos, somados, representam mais de 50% dos quilowatts gastos. Em seguida, vêm lâmpada e televisor (11%)”, relata o chefe da divisão de suporte técnico da Eletrobrás, Emerson Salvador.

Mas as regras na casa de Ivanilda não param por aí. “Chuveiro e torradeira elétricos já não fazem parte de nossa vida há tempo. Junto roupa para lavar e passar de uma vez”. A vigilância ao relógio da Celpe já lhe rendeu uma queda de R$ 80,00, em faturas que alcançavam picos de até R$ 200,00 e mais de 300 quilowatts.

Lâmpadas também devem estar na mira do usuário. As fluorescentes são mais econômicas e tanto elas quanto dezenas de outros eletrodomésticos podem ser encontrados no mercado com o selo do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel). “A marca aprova que o objeto apresenta um consumo energético eficiente, por isso é recomendável só adquirir produtos com esse registro”, orienta Salvador.

Para checar se a geladeira está vedando direito, ele indica um teste simples: basta fechar a porta com um papel entre as borrachas; se a folha cair, o material deve ser trocado. Por fim, é bom não usar aparelhos em horário de pico (das 18h às 21h) no consumo e sempre desligar a chave geral quando fizer viagens longas.

Mais Notícias da Fenafisco