Marca SINDIFISCO Sindicato do Grupo Ocupacional Administração Tributária do Estado de Pernambuco

Notícias da Fenafisco

Dilma: 64% de ruim ou péssimo

2 de abril de 2015

BRASÍLIA – Mesmo com a estratégia de melhorar a comunicação com a população e de explicar os ajustes feitos pelo governo na economia, a reprovação ao governo da presidente Dilma Rousseff continua expressivo. Segundo pesquisa CNI-Ibope divulgada ontem, 64% da população consideram o governo ruim ou péssimo, e 74% dizem não confiar na presidente.

A pesquisa mostra que Dilma perdeu popularidade em todos os estratos avaliados pela pesquisa, como combate a fome, desemprego e inflação e impostos.

Em dezembro, quando a última pesquisa CNI-Ibope foi divulgada, Dilma teve 40% de aprovação e 27% de reprovação. Agora, apenas 12% dos entrevistados avaliaram o governo positivamente, e 23% o consideraram regular.

Já a reprovação da maneira de governar da presidente também aumentou expressivamente, chegando a 78% da população. Apenas 19% dos entrevistados aprovam a maneira da petista governar. Em dezembro, essa aprovação era de 52%.

A confiança em seu governo também despencou. A pesquisa mostra que apenas 24% confiam na presidente, enquanto 74% dizem não confiar.

A pesquisa mostra que 76% dos entrevistados avaliam que o segundo governo Dilma está sendo pior que o primeiro, 18% avaliam que ele os dois mandatos estão sendo iguais e apenas 4% dos ouvidos acham que o segundo mandato está sendo melhor.

Questionados sobre as perspectivas para os próximos anos de governo, 55% dos entrevistados acham que o futuro não será bom. Só 14% deles acreditam que o restante do governo será ótimo ou bom.

A pesquisa CNI-Ibope analisou o primeiro trimestre deste ano. Realizada entre os dias 21 e 25 de março, a pesquisa ouviu 2.002 pessoas em 142 cidades. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, e o grau de confiança é de 95%.

REPERCUSSÃO

O ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, disse ontem que a fotografia do momento "não é boa", mas que o filme do segundo mandato de Dilma será "muito bom". "O governo tem de ter humildade, trabalho, trabalho e trabalho. Nosso compromisso é com quatro anos – e três meses de governo é o início de um processo. A fotografia não é boa, mas o filme vai ser muito bom", avaliou Mercadante.

Peemedebistas, tucanos e até petistas já esperavam a queda brusca na popularidade da presidente. Para o líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), Dilma "está colhendo os frutos das mentiras que plantou durante a campanha". O deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) disse que o resultado já era esperado. "As pesquisas anteriores tinham dado esse resultado e você não viu nenhuma ação do governo para melhorar. A tendência é piorar", afirmou.

O senador petista Paulo Paim (RS) chamou de "constrangedora" a postura do governo após as eleições. "Estamos num momento ruim. Não reconhecer isso seria dar uma de avestruz, enfiando a cabeça na areia até a tempestade passar", afirmou.

Já outros petistas disseram que a má fase da presidente se reverterá tão logo a economia se recupere. "É uma fase muito difícil, mas o governo só no início e tem condição de se superar", disse a deputada Maria do Rosário (PT-RS).

Fonte: Jornal do Commercio

Mais Notícias da Fenafisco