Marca SINDIFISCO Sindicato do Grupo Ocupacional Administração Tributária do Estado de Pernambuco

Notícias da Fenafisco

Cliente pode ver nota de compra

9 de outubro de 2006

 

O consumidor pode virar o próprio fiscal nos postos revendedores para se proteger do combustível adulterado. Em matéria de gasolina, álcool e óleo diesel, nem sempre o menor preço é o melhor negócio. E na gasolina, o cuidado é maior. “Como esse é o combustível mais caro, qualquer adulteração pode significar lucro”, afirma Joseval Alves, presidente do Sindicombustíveis-PE. “Nesse nosso negócio não há milagres”, enfatizou o diretor do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes de São Paulo (Sindicom-SP), Wellington Sandim.

A diretora de Qualidade da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Maria Antoniêta Souza, lembra que o motorista deve desconfiar de preços muito baixos. Ela explica que, se vários postos de uma região estão com preços baixos, pode estar havendo apenas uma movimentação de mercado. No entanto, se um posto tem preço muito menor que os demais, há grandes chances de haver irregularidade.

As margens de lucro são muito pequenas nas distribuidoras e nos postos. Não há como manter preços abaixo da média sem concorrência desleal”, enfatizou Sandim. “É preciso uma mudança cultural porque, lamentavelmente, o consumidor só pensa no preço”, completou Joseval Alves.

Os revendedores lembram que combustível adulterado diminui o rendimento do carro e causa problemas mecânicos, e o barato acaba saindo caro. Para se proteger, o consumidor deve conhecer bem o posto em que abastece. “Exigir a nota fiscal e pedir para ver as notas fiscais de compra do posto também são formas de fiscalizar”, lembra Joseval Alves. Já o diretor do Sindcom-SP, Welington Sandim, recomenda procurar distribuidoras que tenham programas de qualidade. “Uma distribuidora que zela sua imagem tem mais controle dos postos”, disse Sandim.

A ANP disponibiliza, em seu site (www.anp.gov.br), boletins mensais com registro da qualidade dos combustíveis em todos os estados, nos quais são detalhados os problemas encontrados, divididos por regiões. No site da agência também é disponibilizada a pesquisa nacional de combustíveis, onde o consumidor pode checar o preço médio dos combustíveis em sua cidade, para se proteger de combustíveis muito baratos ou caros demais. Quem não tem acesso à internet pode obter informações da agência pelo telefone, gratuitamente, através do número 0800 970 0267.

Fonte: Folha de Pernambuco

Mais Notícias da Fenafisco