Marca SINDIFISCO Sindicato do Grupo Ocupacional Administração Tributária do Estado de Pernambuco

Notícias da Fenafisco

Bolsa recua 1% e dólar cai para R$ 2,132

 

A Bovespa passou todo o dia em terreno negativo e fechou em baixa de 1,04%, aos 37.160 pontos, com giro de R$ 3,451 bilhões. O exercício de opções sobre ações movimentou R$ 1,095 bilhão.

A expectativa para os próximos pregões é de maior tranqüilidade, já que não está prevista a divulgação de indicadores econômicos importantes nesta semana no Brasil nem nos Estados Unidos.

Nas últimas semanas, os índices têm determinado o humor dos investidores. Apesar de o Fed (Federal Reserve, banco central norte-americano) ter interrompido o ciclo de elevação dos juros dos EUA, ainda há muitas incertezas sobre o rumo da maior economia do planeta e seus juros, por isso todos os números sobre atividade e inflação são acompanhados de perto.

Em Wall Street, o movimento ontem foi de realização de lucros, após as fortes altas da semana passada. A Bolsa de Nova Iorque caiu 0,32%, para 11.345,05 pontos, e a Nasdaq (que reúne ações de empresas de tecnologia) teve baixa de 0,74%, aos 2.147,75 pontos.

Contribuíram para a queda a preocupação causada pelo aiatolá Ali Khamenei, líder supremo do Irã, o qual disse que o país prosseguirá seu programa nuclear com força, apesar das pressões da Organização das Nações Unidas (ONU) para que seja interrompido, e o conseqüente avanço dos preços do petróleo. Em Nova Iorque, o barril subiu 1,83%, para US$ 72,45.

Com desvalorização de 0,65%, o dólar comercial terminou o dia vendido a R$ 2,132 – menor valor desde 11 de maio –, na contramão do risco-país, que subiu 0,46%, para 217 pontos. O Banco Central realizou leilão de compra de divisas à vista, com corte a R$ 2,137, mas é limitado o efeito da sua atuação.

Além desses leilões praticamente diários, na quinta-feira a instituição realizou uma oferta de contratos de swap cambial reverso, o que equivale a adquirir moeda no mercado futuro.

Entretanto, o fluxo de entrada de recursos no mercado continua grande: segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, a balança comercial brasileira teve, na terceira semana de agosto, um superávit de US$ 1,022 bilhão. Assim, o BC deve conseguir apenas diminuir um pouco o ritmo em que as cotações caminham para os R$ 2,10.

INVESTIMENTO ESTRANGEIRO – O saldo de investimento estrangeiro na Bolsa de Valores de São Paulo neste mês, que estava positivo em R$ 216,489 milhões até o dia, passou a negativo em R$ 696 milhões até o dia 16. No acumulado do ano, o saldo está negativo em R$ 1,901 bilhão.

Mais Notícias da Fenafisco