Marca SINDIFISCO Sindicato do Grupo Ocupacional Administração Tributária do Estado de Pernambuco

Notícias da Fenafisco

Armadilha no crédito consignado

19 de julho de 2014

A aposentadoria é uma etapa da vida aguardada com expectativa pelas pessoas. Quando chega o primeiro benefício, o segurado comemora a grana do INSS. Ao mesmo tempo se torna um alvo fácil dos fraudadores. Os cadastros dos aposentados e pensionistas são disputados por agentes que assediam os beneficiários com a oferta de crédito consignado. Muitos caem na armadilha e acabam se endividando. Outros mesmo sem contratar a operação são surpreendidos com o desconto de um empréstimo no contracheque.

Assim que se aposentou, Ana Augusta Bessa Cunha, 55 anos, passou a receber telefonemas com a oferta de empréstimo consignado pelos representantes dos bancos. Ela conta que sempre rejeitou as propostas. Até que um dia foi surpreendida por uma ligação confirmando os seus dados e um empréstimo no valor de R$ 12 mil, para ser pago em 60 meses com o desconto de R$ 368. O mais grave é que Ana foi até a agência do banco e obteve a cópia do contrato feito em seu nome.

“Fiquei surpresa e assustada porque não tinha feito o empréstimo. Me dirigi à delegacia e registrei um boletim de ocorrência. Depois fui até o INSS para cancelar a consignação. Agora espero a data de pagamento para confirmar se o desconto foi suspenso”. A aposentada pretende entrar com uma ação na Justiça com pedido de indenização por danos morais e materiais, caso seja lesada com o desconto este mês. 

O chefe da divisão de Benefícios da Gerência Executiva do INSS no Recife, Olacyr Luchetta, diz que essas reclamações sobre empréstimos irregulares são frequentes. Ele orienta o segurado vítima de fraudes no consignado a se dirigir a qualquer Agência da Previdência Social (APS) para registrar a queixa e pedir a suspensão da consignação. É dado o prazo de 10 dias para o banco apresentar a documentação comprovando a lisura do contrato.

“Se ficar comprovado que o contrato é irregular, o INSS suspende a consignação e notifica o banco para devolver o dinheiro ao aposentado”, diz. Olacyr alerta que muitas vezes as quadrilhas agem para fazer a renovação automática do empréstimo consignado com o mesmo valor, e o segurado não percebe a manutenção do desconto. “Para se precaver, o segurado que não quer usar o empréstimo pode bloquear a consignação”.

José Rangel, coordenador-geral do Procon-PE, recomenda que o aposentado lesado vá até o órgão de defesa do consumidor para ser orientado. “Muitas vezes a fraude acontece dentro da própria casa, mas os aposentados também são vítimas de quadrilhas. É importante registrar um boletim de ocorrência na Delegacia do Consumidor, e procurar o INSS para pedir a suspensão do desconto indevido”.

Fonte: Diario de Pernambuco

Mais Notícias da Fenafisco